O INBOUND COMO SOLUÇÃO DE PERFORMANCE NO MERCADO DE COMUNICAÇÃO

Este artigo analisa os dados coletados pelo Estado do Inbound 2017, apresentando argumentos e dados que abordam a mudança de atuação do mercado de comunicação no Brasil, gerando o entendimento do cenário comportamental deste setor e suas novas possibilidades.

Palavras-chave: Mercado Comunicação. Marketing. Digital. Inbound. ROI.

 

INTRODUÇÃO

Howkins (2013) indica a criatividade como não necessariamente uma atividade econômica, mas que passa a se comportar como, quando uma ideia possui valor econômico reconhecível e/ou gera um produto/serviço comerciável.

Para Howkins (2013), a relação entre a criatividade, o simbólico e economia é a fundamentação de economia criativa. Ele descreve a formação deste setor como uma união de segmentos dinâmicos, gerando a diversidade econômica de comércio e inovação. Em suma, a economia criativa abrange os ciclos de criação, produção e distribuição de bens e serviços que usam criatividade, cultura e capital intelectual como insumos.

Neste contexto, indústrias criativas, como os setores de publicidade e marketing,  participam da evolução deste mercado de constante inovação, que hoje vê as novas tecnologias como agentes de mudança.

Toda mudança de comportamento traz impactos significativos onde ocorre. No caso do mercado de comunicação, as mudanças estão acontecendo em decorrência aos novos comportamento de consumo, impactando diretamente nos processos de atuação do mercado de publicidade e marketing. O modelo de entrega de serviço de comunicação tradicional começa a não fazer mais sentido e ser questionado, ao mesmo tempo que novas metodologias surgem.

No modelo tradicional, a principal receita das agências de publicidade no Brasil, e no mundo, advém de comissões em compras de mídias, que vão desde espaços em TV, até compra de banners em sites. No momento em que 102 milhões de brasileiros estão conectados (IBGE, 2016), o comportamento de consumo muda, assim como a forma de impactar o consumidor através da comunicação. Agora, as maiores possibilidades de impactar um potencial cliente e extrair resultado está no digital, fazendo com que o mercado passe a buscar por uma comprovação real de retorno do investimento (ROI).

O objetivo deste artigo é abordar como tais as tendências, somadas aos hábitos dos consumidores, afetam prioritariamente o mercado de publicidade e marketing no Brasil últimos meses, entendendo os principais desafios e prioridades do setor e analisando o período entre o final de 2016 e os primeiros meses de 2017.

 

HIPÓTESES

Os hábito do consumidor estão mudando radicalmente, o que os clientes querem hoje em dia é diferente do que queriam há 10 anos. Isso significa que devemos mudar a maneira como fazemos marketing e vendemos para nos adaptarmos à maneira como as pessoas realmente compram (Estado do Inbound, 2017). Essa realidade faz com que o investimento em mídias outbound (tradicionais) eleve o custo de aquisição dos clientes (CAC) e traga questionamentos sob a ausência de comprovação de retorno do investimento (ROI), desafio cada vez mais presente no dia a dia das agências de comunicação.

Esta nova realidade também impulsiona o surgimento de novas metodologias, como o Inbound Marketing, formando novas possibilidades de atuação no mercado.

 

DESENVOLVIMENTO

  • Métodos

Baseado nos resultado do relatório Estado do Inbound 2017, que contou com a colaboração de 600 profissionais do mercado de marketing no Brasil, em um total de 2.273 na américa latina. A pesquisa foi realizada pela empresa de automação de marketing HubSpot, de dezembro de 2016 a fevereiro de 2017. As respostas foram obtidas através de pesquisa quantitativa, em formato de questionário e atingidos via convite por e-mail, promoção do blog da empresa e compartilhamento nas redes sociais. Nenhuma informação pessoal foi coletada e nenhuma remuneração ou compensação foi oferecida.

  • Resultados

Historicamente considerado um centro de custo para as empresas, o marketing agora é avaliado por sua capacidade de colaborar com os resultados dos negócios. Ao longo dos anos, comprovar o ROI de marketing vem sendo um desafio constante para os profissionais de marketing. Os Resultados obtidos em outras quatro regiões, como América do Norte e Ásia, também mantiveram a comprovação de ROI como um desafio.

Estado do Inbound 2017

Fonte: Estado do Inbound 2017

A publicidade tradicional se mostra em descrédito em comparação com os meios que permitem comprovação de performance.

Estado do Inbound 2017

Fonte: Estado do Inbound 2017

O Inbound Marketing se apresenta como uma solução de resultados. Quando questionados sobre a eficácia da estratégia de marketing de suas empresas, 60% dos participantes acreditam em seus resultados. Dentro do cenário de respostas positivas, 66% utilizam principalmente a metodologia do Inbound Marketing. Já no cenário de negativas, 53% utilizam o modelo tradicional de comunicação.

Estado do Inbound 2017

Fonte: Estado do Inbound 2017

Estado do Inbound 2017

Fonte: Estado do Inbound 2017

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Para as pequenas e médias empresas, o investimento financeiro no modelo tradicional de comunicação parece não fazer mais sentido, quando ao mesmo tempo, o aporte de valor em menor escala nas mídias on-line galopam o ROI de uma empresa. O mercado tradicional de publicidade que conhecemos não irá acabar, mas devido ao cenário citado, não se vê apenas a manobra de investimentos das empresas mudando de sentido; se vê todo e qualquer tipo de empresa aprimorando a sua estratégia digital e identificando ali o seu maior potencial de conversão. O mercado do marketing digital não é uma novidade, ele apenas está deixando de ser mais opção para ser a principal opção. O mercado brasileiro é favorável à esse movimento, quando foi apontado como polo de atração para investimentos em mídias digitais, segundo eMarketer (2012).

Como uma das metodologias eficazes no mercado digital, as características disruptivas intrínsecas no modelo de negócio do Inbound demonstram a capacidade de inovação e mudanças que ele traz para o setor de Marketing no Brasil, mesmo que necessite de adaptações para a aplicação à realidade e necessidade do mercado nacional, como o uso de métodos outbound de maneira complementar. As influências desta chegada formam um novo modelo de atuação, que vão desde à entrega final em produtos/projetos, ao modelo de relacionamento com stakeholders. O Marketing, como setor ativo na economia criativa, tem a sua cadeia produtiva impactada pelo novo formato de mercado.

A jornada do inbound, como uma das novas metodologias do mercado de comunicação, só está apenas começando. A mudança em direção ao futuro só acontece quando há uma combinação de fatores: ideias inovadoras, experimentação para descobrir quais canais funcionam melhor para sua empresa e abertura para experimentar novas tecnologias e ferramentas.

Todas essas mudanças criarão complexidade e potencialmente estresse, mas nem sempre os avanços são fáceis e descomplicados (Halligan, 2017).

As agências que já nasceram neste novo cenário ou se anteciparam perante à nova realidade, estão evoluindo e vivendo momentos de crescimento ou retomada, mesmo com em momentos de recessão no país. A realidade de mercado é simples.

A publicidade sem ROI acaba de morrer: adapte-se ou junte-se a ela (Damasceno, 2016).

 

 

REFERÊNCIAS

HOWKINS, John. Economia criativa: como ganhar dinheiro com ideias criativas. São Paulo: MBooks, 2013.

KOTLER, Philip; KELLER, Kevin Lane. Administração de Marketing. São Paulo Pearson, 2006.

LINDSTROM, Martin. SMALL DATA: como poucas pistas indicam grandes tendências. Harper Collins, 2016.

MEIO E MESNAGEM. A publicidade sem roi acaba de morrer: adapte-se ou junte-se a ela. Disponível em: <http://www.meioemensagem.com.br/home/opiniao/2016/10/14/a-publicidade-sem-roi-acaba-de-morrer-adapte-se-ou-junte-se-a-ela.html>. Acesso em: 19 out. 2016.

REGINA, Lindsay Regina. Inbound metodology. Husbspot Academy, Inbound Certified, 2014.

SHAH, Dharmesh; HALLIGAN, Brian. Inbound marketing: get found using Google, social media, and blogs. Wiley, 2009.

SHAH, Dharmesh; HALLIGAN, Brian. Inbound marketing, revised and updated: attract, engage, and delight customers on-line. Wiley, 2014.

VIANNA, Maurício. Design Thinking: Inovação em negócios. Rio de Janeiro: MJV Press, 2012.

HUBSPOT. Estado do Inbound 2017. Boston, 2017.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO